terça-feira, 27 de agosto de 2013

Faltam 140 mil banheiros em Minas


Na primeira audiência pública do Plano Plurianual de Ações Governamentais (PPAG), realizada pela Assembléia Legislativa de Minas Gerais, nesta terça-feira, dia 22, representantes de órgãos ambientais e de saneamento apresentaram oito projetos em andamento no Executivo Estadual. Um deles, Saneamento para Todos, tem como meta, a construção de 11 mil módulos sanitários em localidades até 200 habitantes. Ocorre que o déficit de instalações sanitárias, segundo a Fundação João Pinheiro, atinge 140 mil domicílios. No primeiro semestre deste ano, o governo estadual teria conseguido construir e entregar apenas 158 deles, cerca de 1,5% da meta. Segundo o representante da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional e Política Urbana (Sedru), os atrasos se devem a dificuldades burocráticas para obtenção dos créditos financeiros, e de identificar as famílias que receberão a obra. Será?

Pequenas obras atrasam 6 anos

Nas localidades de 200 a cinco mil habitantes, a Copanor, que atende regiões do norte de Minas, Jequtinhonha e Mucuri, tem a meta de levar água e esgotos para 500 localidades, com população total de 400 mil pessoas. Os recursos para esse projeto são do Fundo Estadual de Saúde.
As obras, que deveriam ter sido concluídas em 2010, tiveram o prazo “repactuado” para 2016, devido ao cancelamento de 19 contratos. A crise financeira internacional teria sido o principal motivo, segundo Frank Deschamps Lamas.

Águas Olímpicas


O projeto Cidades das Águas, instalado no município de Frutal e voltado para a pesquisa e educação para os recursos hídricos, está concluindo a primeira fase de suas obras físicas. Novos recursos foram obtidos junto ao BNDES no valor de R$ 50 milhões. Deste total metade será usado na construção de uma Vila Olímpica.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário