segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Minas sai na frente com Política Estadual de Agroecologia e Produção Orgânica

Fruto de projeto apresentado pelo deputado estadual Adelmo Leão (PT), Minas Gerais já possui uma Política Estadual para estímulo à agroecolocia e à produlção orgânica. A Lei 21.146, sancionada neste mês, pelo governador Anastasia, foi amplamente discutida no Legislativo com os diversos atores envolvidos. Agora é adotar o mesmo modelo participativo na elaboração do plano estadual,  a começar por um diagnóstico do segmento. Em Minas há 366 produtores orgânicos certificados pelo Minsitério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.  http://migre.me/hBNSW

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Estão abertas as inscrições para o prêmio Benchmarking Brasil 2014 que destaca os melhores da gestão socioambiental brasileira


Empresas e gestores com boas práticas de sustentabilidade podem inscrever seus cases (práticas) até 31 de março para concorrer ao Ranking Benchmarking 2014. Os aprovados serão certificados e farão parte do maior Banco Digital de Boas Práticas Socioambientais com livre acesso do país. O Ranking Benchmarking das melhores práticas socioambientais do país será conhecido no dia 4 de junho. 

O Programa Benchmarking Brasil é considerado um dos mais respeitados selos de sustentabilidade do país pelo fato de inspirar empresas e pessoas na busca contínua das melhores práticas. A comissão técnica 2014 que será responsável pela pontuação das práticas inscritas, é composta por especialistas de seis diferentes países. Eles avaliarão as práticas sem ter acesso ao nome das organizações. Em seus 12 anos de existência, já selecionou, certificou e compartilhou 279 práticas de sustentabilidade. Já passaram pelo crivo Benchmarking, 162 instituições brasileiras atuantes nos três setores da economia, e localizadas em 13 diferentes estados do país.  

 As inscrições poderão ser feitas online pelo site www.benchmarkingbrasil.com.br 


Os Legítimos da Sustentabilidade

As práticas inscritas são avaliadas por uma comissão técnica multidisciplinar com participações relevantes no cenário nacional e internacional, o que garante credibilidade e transparência. Uma vez selecionadas, integram o Ranking Benchmarking 2014 e serão compartilhadas com público especializado e formador de opinião em livros, revistas, banco digital e eventos técnicos.
Além de acelerar o desenvolvimento técnico da gestão socioambiental brasileira, o Programa Benchmarking ajuda no diálogo e na prestação de contas da organização com seus diversos públicos de interesse. Também oferece relevante serviço de utilidade pública na medida em que informa a sociedade o "modus operandi" das organizações para com as questões socioambientais, ou seja, mostra a sustentabilidade aplicada no dia a dia da empresa, muito além da teoria e do discurso.
Os cases Benchmarking são inscritos em 10 categorias gerenciais: Resíduos, Energia, Gases e Poluentes, Recursos Hídricos e Efluentes, Educação, Informação e Comunicação Ambiental, Ferramentas e Políticas de Gestão, Manejo e Reflorestamento, Pesquisas Científicas e Desenvolvimento de Novos Produtos, Proteção e Conservação e Arranjos Produtivos.
Comissão Técnica 2014, plural e com participações internacionais
Um dos pilares do Programa Benchmarking é a sua comissão técnica, única em seu formato e composição, analise e critérios de avaliação. Ela compreende identificação de nomes consagrados de personalidades e especialistas comprometidos com ações sustentáveis e atuantes em entidades e instituições com reconhecido valor e que represente significativos segmentos da sociedade.
Este ano, a comissão técnica tem representantes de seis diferentes países: Brasil, Canadá, Estados Unidos, Noruega, Reino Unido e Portugal. Os critérios de avaliação são transparentes e os membros da comissão técnica avaliam a qualidade gerencial das práticas de sustentabilidade do case sem ter acesso ao nome da instituição.
Integrantes da comissão técnica 2014 em ordem alfabética:
  1. Andrea Vialli, Jornalista com especialização em sustentabilidade pela Schumacher College, do Reino Unido. Desde 2004 escreve uma coluna voltada ao tema socioambiental no caderno de Economia&Negócios do jornal O Estado de São Paulo. São Paulo/Brasil
  2. Bryan Husted, Professor de Política na Schulich School of Business, York University do Canadá e Professor de Administração de Empresas no Instituto Tecnológico e de Estudos Superiores de Monterrey no México. Atual presidente da Sociedade de Ética Empresarial. Toronto/Canadá
  3. Erika Bechara, Professora e Coordenadora da Especialização em Direito Ambiental e Gestão Estratégica da Sustentabilidade da PUC-SP. São Paulo/Brasil
  4. Fernando Miguel Seabra, Professor Adjunto do ISCAL - Instituto Superior de Contabilidade e Administração e do Instituto Politécnico de Lisboa. Lisboa/Portugal
  5. Gabriela Miranda, Mestre e Doutoranda em Gestão PhD, Responsabilidade Social, Sustentabilidade e Mercados Emergentes pela University of Bath e analista de risco da Maplecroft, uma das principais empresas de análise de risco global. Bath/Reino Unido
  6. Geraldo Falcão, Consultor e Auditor credenciado. Professor convidado da Fundação Getúlio Vargas, em cursos de MBA e Pós-graduação. São Paulo/Brasil
  7. Gilberto Natalini, Médico e vereador da cidade de São Paulo. Idealizador e realizador da Conferência Produção Mais Limpa. São Paulo/Brasil
  8. Jorge Queiroz, Fundador do Instituto Brasileiro de Gestão e Turnaround (IBGT) e Membro Fundador do International Insolvency Institute. Integrante do Comitê para Assuntos Ambientais das Nações Unidas. Oslo/Noruega
  9. Jamile Balaguer Cruz, especialista em estratégia e sustentabilidade pela HEC School of Management (Paris/França) e pela FGV-SP. Consultora em Educação Ambiental e Planejamento para Negócios Sustentáveis, Sócia-Diretora GAEA SUSTENTÁVEL e Diretora de Eventos da Abraps. Brasília/Brasil
  10. Leandro Peña-Salvático, Membro do Comitê ABNT que desenvolveu a norma ISO 15.498:2011 para o mercado de carbono voluntário brasileiro e agora está desenvolvendo uma norma para REDD+. Atual Auditor Independente de Projetos MDL e Inventários de GEE na Perry Johnson Registrars MDL - Washington DC/Estados Unidos
  11. Luiz Carlos Merege,  Economista; doutor e mestre pela Maxwell School of Citizenship and Public Affairs da Universidade de Syracuse, NY. Fundador e Presidente do IATS – Instituto de Administração para o Terceiro Setor. São Paulo/Brasil
  12. Luis Rasquilha, CEO da Ayr Consulting Worldwide e YR e Advisory Board Member do LIDE Futuro Portugal. Professor convidado em Business Schools e Universidades em Portugal, França, Bélgica, Holanda, Moçambique e Brasil e autor de inúmeros livros na área da comunicação e inovação empresarial. Lisboa/Portugal
  13. Mariana Meirelles, Secretária de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do Ministério do Meio Ambiente. É membro da Rede de Mulheres Brasileiras Líderes pela Sustentabilidade, uma iniciativa do MMMA e foi Vice Presidente do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS). Brasília/Brasil
  14. Nelson Pereira dos Reis, Vice-Presidente da FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, diretor titular do Departamento de Meio Ambiente da entidade e membro do Conselho Estadual de Meio Ambiente do Estado de São Paulo (Consema). São Paulo/Brasil
  15. Sylmara Lopes Francelino Gonçalves Dias, Professora na Escola de Artes Ciência e Humanidades da Universidade São Paulo e Orientadora do Programa de Ciências Ambientais (PROCAM-USP). São Paulo/Brasil

Sobre o Programa Benchmarking Brasil
Em 11 edições já realizadas o Programa Benchmarking Brasil se consolidou como um dos mais respeitados "Selos de Sustentabilidade" do Brasil. Com uma metodologia estruturada e participação de especialistas de vários países, o Ranking Benchmarking define e reconhece os detentores das melhores práticas de sustentabilidade no País. Nesse período selecionou, certificou e compartilhou 279 práticas de sustentabilidade. Já passaram pelo crivo Benchmarking, 162 instituições brasileiras atuantes nos três setores da economia, e localizadas em 13 diferentes estados do país.  Além do Ranking, o programa congrega outras ações de fomento a sustentabilidade tais como: Publicações (Livro e Revista), Banco Digital de Práticas com Livre A cesso, Encontros Técnicos, Feiras e Congressos, entre outros.  Ao longo destes anos, o Benchmarking Brasil incentivou a busca da melhoria contínua e a adoção das melhores práticas nas organizações, contribuindo assim com a construção de massa crítica em sustentabilidade no país.
São Paulo, 13 de Janeiro de 2014
(11) 3729-9005/ 3257-9660
www.benchmarkingbrasil.com.br

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Agronegócios sem veneno

Na entrevista do presidente da Federação da Agricultura de Minas Gerais (Faemg), Robeto Simões, publicada nesta data, pelo jornal Hoje em Dia, três coisas chamaram minha atenção. 1 - Ele defende a eliminação de parte de cafés improdutivos ou de baixa qualidade, como forma de melhorar o desempenho do grão brasileiro no mercado  internacional. 2 - Ele critica a política  de preços para a gasolina, praticada pelo governo federal, que tem sufocado a produção do etanol, tido como alternativa de combustível ambientalmente correto. 3 - (preocupante por demais) - ele defende a entrada de produtos químicos, até então proibidos no Brasil, para combater a lagarta helicoverpa armigera. A idéia conflita com a opinião de muitos cientistas e pesquisadores em fitopatologia que  recomendam o combate à praga com processos naturais e com manejo adequado.

http://www.hojeemdia.com.br/noticias/economia-e-negocios/brasil-precisa-investir-mais-na-produc-o-de-fertilizantes-1.208701

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Prazo de inscrição para o Prêmio Mandacaru é prorrogado para 05 de fevereiro

O prazo de inscrições para o Prêmio Mandacaru II foi prorrogado. Os interessados podem se inscrever até o dia 05 de fevereiro de 2014. O Prêmio busca identificar e apoiar projetos e práticas que tenham como base as tecnologias sociais de acesso água e outras de convivência com o semiárido.

O tema para esta segunda edição do prêmio é: Água, Participação e Soberania Alimentar , considerados os principais pilares para a busca da convivência harmônica e solidária com o Semiárido. A premiação alcança o valor total de R$ 1 milhão.

O Prêmio é parte integrante do Programa Cisternas BRA-007-B. É realizado pelo Instituto Ambiental Brasil Sustentável (IABS) em parceria com a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) e apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas via SEDEX ou via email.

Clique aqui para mais informações sobre o Prêmio Mandacaru II

Fonte: IABS

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Bem-vindo 2014 de bicicleta!

A previsão deste ano é que a poluição vai aumentar e o combustível também, mais pessoas enfrentarão também problemas de saúde pelo sedentarismo e como conseguir um mundo mais sustentável pelo ativismo? Que tal deixar mais o carro em casa e andar a pé para distâncias pequenas e de bicicleta parta as maiores? Está certo de que muitas das grandes cidades do Brasil e da América Latina não estão adaptadas para ciclistas e esse é um bom motivo para lutar: pedir mais ciclovias em sua cidade, respeito ao ciclista e atitude para começar a pedalar. Durante todo este ano de 2014 destacaremos atitudes que podem tornar a vida mais sustentável e começamos pelo Campeonato Carioca de Cargueiras.

Inspirada nas Svajerløb dinamarquesas, será realizada em maio de 2014 a primeira corrida de entregadores em bicicleta da América Latina. O Campeonato Carioca de Cargueiras. Desde já está lançada a pergunta, quem será o Rei do Rio? A pedalada vai ser viking. Afinal foi em 1942 que os malemolentes entregadores dinamarqueses tiveram o seu primeiro campeonato.

Um evento que valorizou os que faziam fluir a cidade e que aconteceu até a popularização das vans de entrega nos anos 1960. A idéia da corrida reapareceu em Copenhague em 2009 e, claro, foi sucesso e diversão nas ruas. Copacabana tem uma massa invisível de ciclistas, os heróis do proletariado. São os responsáveis por mais de 11.000 entregas diárias feitas em bicicletas e triciclos. Todos eles estão em uma situação parecida aos que pedalavam em Copenhague nos anos 1940.

 Mais de 70 anos depois da primeira Svajerløb, valorizar as pessoas que utilizam a bicicleta, essa invenção com mais de 125 de bons serviços prestados, é um passo em busca de inclusão social, e também um evento irado. No Rio de Janeiro vão haver prêmios para os entregadores mais bem colocados, mas a vitória será de todos esses heróis invisíveis que transportam de tudo pelas ruas. Já está no ar o crowdfunding e você pode entender mais sobre o Campeonato Carioca de Cargueiras através do http://Copenhagenize.eu.


Confira vídeo: http://vimeo.com/82132593

Quer mandar sua sugestão de pauta para Diálogos Sustentáveis de atitudes que fazem a diferença e de como se mobilizar coletivamente por um mundo melhor? info@imersaolatina.com