segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Brechas de Bem-Estar Social


O estudo “Sistemas de Protección social em America Latina y el Caribe”, realizado pela Comissão de Econômica para América Latina e Caribe (Cepal), inclui o Brasil na lista dos países com brecha de bem-estar modesta, junto com Argentina, Chile, Panamá, Uruguai, Venezuela e Costa Rica. Elaborado pelos pesquisadores Simone Secchine, Fernando Filgueira e Cláudia Robles, o estudo classifica os países da região em outras duas categorias inferiores: brechas moderada e brechas severa.
A partir de um levantamento das políticas de proteção social, são elencados indicadores econômicos, sociais e demográficos da população. Os países de brecha modesta são os de menor incidência de pobreza e com maior gasto publico social por habitante. Além das condições econômicas favoráveis (com aumento de empregos e salários) e  da arrecadação tributária, são beneficiados pelo bônus demográfico, que é o aumento da parcela da população economicamente ativa (15 a 64 anos), o que reduz o  numero de dependentes de quem está trabalhando.
Segundo os autores, ocorreu um salto, do modelo de retração e limitação de gasto social, para a expansão social estatal, com programas de assistência e  ampliação da seguridade social . Atenção especial é dada às políticas focalizadas, como o Bolsa-Família, considerado como um exemplo de sinergia e articulação com outros dispositivos de proteção social, devido à exigência de freqüência às aulas pelos filhos das famílias beneficiadas.












Nenhum comentário:

Postar um comentário