quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Ativistas do Greenpeace e índios Munduruku se unem contra construção de complexo hidrelétrico dos Tapajós

Projetos dos índios Munduruku
No fim da tarde de ontem, cerca de 60 índios Munduruku se uniram a ativistas do Greenpeace para protestar contra a construção do Complexo Hidrelétrico dos Tapajós, no oeste do Pará. Na areia de uma praia próxima à cachoeira São Luiz do Tapajós, onde está prevista a primeira hidrelétrica, foi escrita a mensagem “Tapajós Livre”, para lembrar que aquele local, muito importante para os Munduruku, não pode desaparecer para dar lugar a uma hidrelétrica.

Ao todo, o Complexo prevê cinco hidrelétricas, cuja soma da área dos reservatórios ultrapassa o tamanho da cidade de São Paulo. Acontece que a região que está prestes a ficar debaixo d’água abriga uma das principais porções de floresta intacta do país, afetando unidades de conservação e terras indígenas.
Às vésperas da COP 20, conferência mundial sobre o clima a ser realizada em dezembro, no Peru, o Brasil mostra que ainda não entendeu que não precisa inundar suas florestas para produzir mais energia. Temos um enorme potencial em outras fontes renováveis, como eólica, solar, biomassa e mesmo energia oceânicaQueremos o Tapajós livre já!

Construir hidrelétricas na Amazônia é reflexo de um modelo energético falido. Temos sol, temos vento. Precisamos de mais incentivos e investimentos em energias renováveis. Se você também quer um mundo mais verde, junte-se a nós.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Fazenda é ocupada por camponeses contra transgênicos


Onde antes só haviam milhos transgênicos foram plantadas sementes agroecológicas. Uma denúncia ao agronegócio, representado pela Senadora Kátia Abreu, e aos produtos geneticamente modificados, prejudiciais ao meio ambiente e a saúde do povo brasileiro.
O vídeo 'Contra o inimigo, cultivo a Rosa Branca', realizado pela Mídia NINJA, mostra detalhes da ação e conta com depoimento de Aleida Guevara, filha de Che Guevara. Assista:
print a
Leia também a matéria completa da ação, que reuniu cerca de 2 mil jovens na ocupação da Fazenda Pompilho, com 2 mil hacteres de cultivo de milho transgênico à beira da BR 158, que liga a cidade de Palmeira das Missões no RS à região oeste de Santa Catarina. – ninj.as/gsnfn
Confira o vídeo: http://ninj.as/5mnzm

Cenário Brasileiro de sustentabilidade é discutido em encontro da População Negra e de Comunidades Tradicionais em Sergipe

 na próxima quinta e sexta-feira (27 e 28/11), no Hotel Rivesides, em Aracaju, o 1º Encontro de Segurança Alimentar e Nutricional da População Negra e dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana.

A conferência de abertura, às 11h, após as falas iniciais da mesa, será ministrada pelo professor Fernando Aguiar e terá como tema Direito dos Povos e Comunidades Tradicionais: da criminalização ao reconhecimento do Direito .

Ainda na quinta-feira, na parte da tarde, será realizada a palestra sobre Políticas Públicas e Comunidades Tradicionais avaliando o cenário brasileiro e sergipano de sustentabilidade , tendo como palestrantes Lylia Galetti, da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), da Presidência da República, e um representante da Secretaria de Estado da Inclusão, Assistência e Desenvolvimento Social.

O segundo e último dia será dedicado às atividades em grupos, oficinas temáticas, desenvolvidas em rodas de conversas com a problematização do cotidiano, seguidas de apresentações e exposições dialogadas, além da elaboração da Carta Final.

Serviço
1º Encontro de SAN da População Negra e dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana
Dias: 27 e 28 de novembro (quinta e sexta-feira)
Local: Hotel Rivesides, Coroa do Meio, Aracaju (SE)

Fonte: Consea-SE 

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Cumbre de los pueblos frente al cambio climático llama a 30 días de la marcha global en defesa de la Madre Tierra


Acción mundial frente al Cambio Climático.

Participa desde donde estés este 10 de noviembre Preparando el (10D): a solo 30 días de la "Marcha Global de los Pueblos en defensa de la Madre Tierra" con el hashtag #YoMarcho10D, estamos llamando a la acción rumbo a la Cumbre de los Pueblos. Todos y todas las personas que deseen hacer una acción, deben salir a la calle con una bandera o elemento alusivo y sacar una foto con frases como #YoMarcho10D para Cambiar el Sistema y no el Clima o alusivas a los procesos de luchas que vienen, son bienvenidos. Pueden empezar ya mandando sus twits con sus frases y #YoMarcho10D para ir calentando motores.

Pueden seguir todos los mensajes en vivo de las redes sociales.