quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Democratização do Copam pode ajudar a resolver crise da água

Participei das discussões sobre o programa do então candidato a governador de Minas, Fernando Pimentel, para as áreas de meio ambiente, energia e comunicação. Testemulhei em praça pública, no dia 14 de setembro de 2014, ele anunciar seu compromisso prioritário com a água. Vejo agora seu esforço na busca de soluções de curto, médio e  longo prazos para crise hídrica no Estado: uma campanha  da Copasa pela redução do consumo foi colocado no ar em poucos dias, reuniões com prefeitos da Grande BH e busca de recursos no governo federal para as obras necessárias.
Como o eixo do programa de governo que venceu as eleições é a participação popular, aguardamos com ansiedade as medidas institucionais e legais para ampliar a participação popular no Conselho de Política Ambiental (Copam), hoje um órgão "hierarquizado" e sem poder efetivo na definição da política ambiental do Estado. Aliás, qual política ambiental?

Nenhum comentário:

Postar um comentário