terça-feira, 30 de agosto de 2016

Hija de la Laguna - Documental con pueblos de Perú de protección a las águas


Avance promocional del largometraje documental "Hija de la laguna" (Perú, 2015).

www.hijadelalaguna.pe


TRILER 

LINK A PAGINA DONDE ESTA EL TORRENT. Se puede exibir en Cine Clubes.

https://thepiratebay.org/search/la%20hija%20de%20la%20laguna/0/99/0

LINK PARA AGRAGAR A TORRET
magnet:?xt=urn:btih:30622ba85082d0431cd7087147621d1112aee043&dn=Hija+de+la+Laguna+-+Documental&tr=udp%3A%2F%2Ftracker.leechers-paradise.org%3A6969&tr=udp%3A%2F%2Fzer0day.ch%3A1337&tr=udp%3A%2F%2Fopen.demonii.com%3A1337&tr=udp%3A%2F%2Ftracker.coppersurfer.tk%3A6969&tr=udp%3A%2F%2Fexodus.desync.com%3A6969

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Plano de Recursos  Hídricos da Bacia do São Francisco 

O Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco realizou no dia 29/07, em Belo Horizonte, a quarta consulta pública, para apresentação do Plano de Recursos Hídricos da Bacia. A atualização do Plano para o período 2016/2015, trouxe como novidade a inclusão do potencial de águas subterrâneas na Bacia. O estudo identificou 44 aquíferos,  com propostas de intervenção em dois deles (Urucuia/Areado, em  Minas). As informações, no entanto, são insuficientes por falta de um mapeamento hidrogeológico.  Em Minas, por exemplo, há apenas três poços de monitoramento.
O PRHSF propõe uma nova delimitação  da bacia, aumentando a área do Alto São Francisco ,  para praticamente todo o estado de Minas Gerais, à jusante da nascente. Por consequência, foi reduzido a área do Médio  São Francisco (ficando sua maior parte no estado da Bahia).
A ocupação da Bacia por matas e florestas é de apenas 5,4%. A maior área, 44,5%,  é ocupada por empreendimentos agrícolas e industriais, seguido por  pastagens, com 32,7%. As áreas urbanizadas ocupam  3,3% da Bacia.
Para o desafio de conciliar os usos múltiplos da água (irrigação, atividades econômicas,  abastecimento humano, navegação, geração de energia, transposições) o PRHSF estabelece 22 metas em seis eixos . A demanda apontada para investimentos é da ordem de 30 bilhões de reais, cujas fontes seriam recursos federais, estaduais e de cooperação internacional. A maior parte desses investimentos propostos estão relacionados ao saneamento (64%).
A aprovação da revisão do PCRH deverá ocorrer em meados de setembro do corrente, na reunião plenária do CBHSF. Na consulta pública a palavra “pacto” foi citada algumas vezes. Embora seja um documento  técnico, o Plano depende de decisões políticas  para sua implementação.